O carro movido a ar comprimido

Há alguns anos atrás, ouvi falar que um brasileiro havia desenvolvido um carro à água e que tal projeto havia sido patenteado e todos os direitos comprados por uma grande companhia petrolífera multinacional. Não tenho certeza sobre a veracidade deste fato, pois não encontrei nada a respeito deste assunto publicado. Vai ver a tal companhia guardou tudo numa “concha” e jogou no fundo do mar…Agora, com o forte apelo mundial anti-poluição, estes tipos de projetos não-poluentes, ganham força na sua divulgação e mais facilmente angariam investidores.

Estou falando principalemnte do engenheiro francês Guy Nègre da MDI (Moteur Developpment International), que desenvolveu o mais bem sucedido carro movido a ar comprimido. E a boa notícia é que vários países que aderiram ao projeto, investindo na pesquisa deste conceito, já anunciaram a implantação de linhas de montagem principalmente do modelo “City-CAT”.

O consumo deste veículo foi calculado em aproximadamente 0,75 euros (R$1,95) por 100km. E acreditem: os gases que saem pelo escapamento podem voltar para a cabine para o sistema de ar-condicionado. O motor deste veículo libera o mesmo ar que respiramos com a vantagem de estar filtrado.

E a manutenção?
Como é um motor limpo (sem queima), a troca de óleo (1 litro de óleo vegetal) deverá ser feita a cada 50.000 km. Para abastecer, basta regarregar o tanque de ar comprimido, ou ligá-lo a uma tomada. O City-CAT virá equipado com um pequeno compressor, capaz de regarregar completamente os tanques em 3 a 4 horas, isso enquanto os postos de combustíveis não fornecerem ar comprimido de forma a abastecer mais rapidamente.
A autonomia do City-CAT, pode chegar a 300km, atingindo uma velocidade de 130km/h.
Mas alguns grupos (sempre tem alguém ocioso pensando) declaram que é necessário usar eletricidade para abastecer o veículo e essa eletricidade seria produzida de forma suja. Pelo visto, são tão preocupados com a poluição mundial que ainda não descobriram a energia eólica…
Resta saber se o interesse e poder do petróleo não acabarão arquivando mais este projeto, que tem tudo pra vingar e substituir definitivamente nossos “beberrões” de gasolina.
Mais sobre o assunto, AQUI, em português.
Mais um pouco AQUI, em inglês.
Update desta postagem, AQUI.

26 Comments on "O carro movido a ar comprimido"

  1. Sem querer criar polêmica, mas a energia eólica apesar de ser renovavél, ainda nao é usada em escala a ponto de abastecer todos os carros hibridos ou elétricos, é um pouco simplista de mais ignorar o fato de que indiretamente esses carros também poluem.
    Como engenheiro e cidadao sou a favor de um maior investimento nessas areas, afim de otimizar a producao de energia de uma forma mais limpa.
    Existem estudos sobre o impacto dos veículos híbridos sobre a rede elétrica:
    (http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=estudo-avalia-impacto-dos-veiculos-hibridos-sobre-a-rede-eletrica&id=010115080319)

    Pensamento ocioso é acreditar nessas baboseiras de que a industria petrolifera é oniciente e capaz de rastrear qualquer tipo de projeto que contrarie seus interesses … qualquer estudo que se preze teria publicacoes e seria discutido no minimo dentro do ambiente de pesquisa, e convenhamos, é muitissimo improvavel que uma empresa consiga silenciar toda uma rede de pesquisadores de um dia para outro.

    Quero deixar claro que a questao nao é pessoal, mas é preciso tomar mais cuidado com certas afirmacoes, principalmente quando o meio no qual seu texto é publicado, pode atingir centenas de pessoas.

  2. Queria que meu primeiro carro fosse "limpo". Mas acho que ainda vai demorar muito para comercializarem esses veículos.

  3. Caro Gustavo. Muito obrigado por contribuir de forma tão consistente em um assunto que deveria ser até mais polêmico do que é atualmente.

    Convido todos à ler a máteria que você indicou, através do link a seguir: http://tinyurl.com/3hlzbq

    Tanto para os carros, quanto para a geração de energia, as tecnologias "limpas" já existem. Cabe a nós utilizá-las.

  4. quando teremos disponivel e qto custara.

  5. Mesmo a energia elétrica sendo 'suja', ainda assim seria vantagem os carros serem limpos, pois o controle ambiental no ponto de produção é/pode ser muito mais efetivo e eficiente do que tentar fazer o mesmo em toda a frota de veículos (que é o que tentamos fazer hoje).

  6. A matéria é interessante, principalmente se atingir a todas as pessoas nas quais se refere o Gustavo. Porque sendo polêmico, é bom para mostrar que há alternativas, sempre. E há muitos que ainda não puderam pensar ou não quiseram.
    Vejam o caso de nosso colega Adilson aí acima. Me parece que já está levando este comentário ou blog como concessionário.

    Viva o Brazil.

  7. Sempre alguém vem argumentar que esses novos carros usam eletricidade que também é uma energia suja e etc… mas uma coisa extremamente importante que não vem sendo considerada é que todas as noites nós jogamos fora uma quantidade imensa de energia elétrica fora. A energia produzida por nossas hidrelétricas no período da noite, é quase totalmente desperdiçada, jogada fora.(turbinas tem que ser desativadas durante a noite para não sobrecarregar o sistema). Os carros deveriam usar essa energia, sendo recarregados à noite.

  8. Acho importante a industria se mobilizar e procurar alternativas que não venham a agredir o meio ambiente, o ar commprimido como cobustível é uma idéia revolucionária e terá adesão em todo o mundo de consumidores conscientes, quanto ao fato de utilizar energia elétrica, aqui no Brasil, usamos energia de hidroelétricas, aeólica e solar, e pode ser uma alternativa para outros países, levando-se sempre em conta o ganho do planeta como um todo!!!! Tem meu apoio.

  9. pessoal e o sistema do bio-disel (oleo vegetal puro)no aqui no brasil já temos 1 visionario que teve de entrar na justiça para poder lacrar o carro dele que ele modificou e ele o obastece com somente oleo vegetal, vi 1 reportagem e o cara disse que se ele quiser abastece o carro no Super-Mescado Varegista é logico. E outra o oleo vegetal é + barato que o disel e polui 60% menos…

  10. Vi uma reportagem sobre o modelo frances, não coloquei a url pq é em frances o filme.

    Bom, o ideal para que funcione corretamente é:

    1 – Ter um gerador de energia eletrica limpa, solar, eolica ou hidreletrica

    2 – Um compressor de ar em cada posto de gasolina utilizando esse tipo de energia limpa, pois é capaz de abastecer o carro frances em 3 minutos, o compressor do carro leva 40 minutos para abastecer

    Depois de ver o filme, eu daria uma sujestão, faria o teto com placas de energia solar para alimentar o compressor do carro, que daria maior autonomia de distância, o compressor seria acionado quando o cilindro estivesse somente com 20% da sua capacidade total e seria desligado quando estivesse a 40%, serviria como medida de auxilio somente, fora isso, ficaria acumulando energia em 4 baterias para usar o carro a noite sem grandes problemas de falta de ar comprimido, eu sinceramente, acho a melhor das idéias, sou totalmente contra uso de qualquer tipo de combustivel a base de alimentos ou petroleo, a não ser os VW que conseguem percorrer 100Km com 1 litro de Diesel, mas isso é um outro projeto que também é muito interessante e uma outra grande discussão.

  11. Sonia Regina Leite | 8 de maio de 2008 at 01:56 | Responder

    Caso este tipo de carro movido a ar comprimido venha a ser uma realidade, acreditarei que a saúde do planeta tem cura. É só o poder do mundo globalizado ser neutralizado. Este é um sonho que espero venha a se concretizar. Será um dos grandes feitos da sociedade do conhecimento com fins pacíficos e de conscientização de que a utopia pode se tornar realidade. Continuo vibrando pela sustentabilidade do nosso querido Planeta Azul.

  12. Boa noite! Com relação ao veículo movido a ar comprimido, eu consegui no ano passado construir um motor(idéia de meu pai ja falecido) assim e funcionou bem com ótima performam-se tanto para carros e outros afins q usam motor e acredito que seria aprovado certamentee,
    e não imaginava q ja tinham inventado tal motor, fiquei triste pois ja qque esta registrado eu não posso mais faze-lo. Nós (povo) ficamos dependentes do petroleo e por problemas de registro do invento (meu motor) ñão onseguimos tornar isso popular. Sou perito em motores e não consigo fazer que minhas cheguem a aos menos afortunados. Se alguem souber de algo pra mim ou uma ideia de-me a dica por email ok – e mandem-me email.. boa sorte a todos. e alguem interessar mantenha contato – Um abraço

  13. marcio dos santos | 18 de junho de 2008 at 17:30 | Responder

    eu vou participar de uma feira na minha escola e eu tava quereno faze um carro ecologico, so q eu n sei nem por onde começar.gostaria q vcs enviassem algum projeto de algum carro ecologico pra mim.com todas as dicas e como se faz.se der certo eu queria fazer tipo um carrinho de brinquedo

  14. o meu comentário é simples. anda tudo à volta dum problema e ninguem vê nada, os veículos automóveis só não andam a ar porque não se quer.
    mas não é garantidamente com este sistema, e fico por aqui.ok?

  15. Muito bom o projeto agora é importante descobrir como entrar no mercado e se vão permitir a produção vai mexer com grande potencia que fara´tudo até mesmo comprar o projeto para não produzir, a 30 anos atraz um brasileiro descobrir um motor que usava agua para seu funcionamento, onde ele está agora ? vingou seu invento?

  16. Pois é o carro movido a ar tem todas as dificuladade de mercado não é facil mesmo pois existe grande resistenciaa. O meu motor funciona e com bom performace, mais como , como superar as dificuladades q existem em termos de registro patente, enfim eita Brasil.
    Se alguem tiver alguma informação concreta e for sério em suas idéias mantenha contato que certemente terá um retorno razoavel.. Muitissimo grato a todos – Nero

  17. O carro funciona a ar comprimido, o ar que é expelido pode ser reaproveitado pois já estará filtrado. Só esta filtragem do ar que nos respiramos nas grandes cidades não serviria para considera-lo como ecológico? Já existem estudos para a produção de energia elétrica, limpa a partir do hidrogenio. Mas mesmo assim ele não é muito mais limpo?
    Vamos, venhamos e tornemos a ir. É a realidade

  18. Com relação à utilização de energia elétrica vindas de "fontes sujas". Vamos pensar um pouco.

    1) O objetivo do carro é de transporte urbano.
    2) O carro possui um autonomia de 200 km, o suficiente para andarmos mais do que um dia numa cidade.
    3) A base de nossa produção de energia elétrica são através de usinas hidroelétricas.
    4) À noite, existe uma baixa demanda de consumo de energia elétrica em comparação com o período diurno (tanto isso é verdade que empresas que utilizam possuem transformador próprio possuem desconto no horário noturno – http://www.seagri.ba.gov.br/noticias.asp?qact=vie….
    5) Se andarmos com o carro durante o dia e tivermos a consciência de "recarregá-lo" à noite, fora do horário de pico de consumo, utilizaremos uma energia produzida pelas hidroelétricas que seria jogada fora.

  19. POIS E GUSTAVO assim como em todos os projetos de outras pessoa sempre aparece um engenheiro brasileiro para meter a boca estou de @@@@cheio dos engenheiros que temos formado nessa nossa terrinha.
    pois sou tecnico de equipamentos eletronicos a quarenta anos e sou formado em engenharia eletronica e sei o quanto tal formaçao me e util tenho um grande certificado na parede que tampa muito bem um defeitinho do cara que a rebocou!
    me lembra quando existia uma tal de uma reserva da informatica no brasil que ditava que pelo menos quarenta por ceto dos equipamentos importados tinham que ser desenvolvidos por engenheiros daqui no caso dos faxes e pcs se tratava das suas fontes adivinhem quais eram os unicos circuitos que vivian dando defeitos???!!!!
    mas falando de carros tinha-mos um snhor que tentou inventar carros mais leves e mais economicos e claro menos poluentes chamava-se Amaral gurgel.
    que perdeu a sua fe na nossa terrinha quando tentou batizar um dos seus carrinhos de `cena`e os advogados de uma certa celebridade da epoca que hoje nao esta mais entre nos queriam processa-lo por tal tentativa
    ele o Gurgel ainda tentou explicar que bichinho dele se chamava `CENA´E NAO ´SENNA´ e que deveriam processar tambem os italianos pois la tem um rio chamado ´cena`.
    portanto como o nosso amigo gustavo acima sempre vai haver um engenheiro ou uma celebridade pronto para jogar areia nas ideias dos outros dai eu pergunto qual e a sua ideia
    uma versao de 12 cilindros dos maveriks ??????????

  20. Estudei mecânica e estou a procura de emprego Gostaria de saber as coordenadas de um carro movido a energia solar pois não tenho esse conhecimento.
    Aguardo sua resposta.
    Fico na espera.
    Obrigado.

    Elena.

  21. Assisti no NG, que já estão produzindo este carro. A reportagem acho que era francesa e já havia fila de espera para a compra do mesmo. Ele esta sendo comercializado a U$ 15.000,00, ou seja R$ 32.250,00 fora o imposto. Acredito que por aqui ele custaria na faixa de R$ 55.000,00. Como popularizar um carro nesse valor. Se ele elimina ar puro em uma temperatura que varia de -0° a – 6°, seria ótimo para uma Cidade do Mexico, São Paulo e qualquer outra cidade quente.

  22. pois então o carro movido a água era de um cara aki de Curitiba que tinha uma caixa d'água em cima do carro, é mas logo alguem deu um jeito dele esqueçer que tinha inventado,

    pois é quem justifica um carro valer 23mil? estou pagando para reinventarem a roda so pode

    empresa de telefone 1 minuto de celular valer o mesmo que 1 litro de leite

    uma vez um cara tentou vender combustível mais barato que todos os postos, pois é faz 8 anos que o posto está fechado.

  23. quando a MDI veio para cá em busca de investidore parece que consegui 3 polos(possíveis fábricas) para produzir o carro para ser vendido a 18mil reais, pois é cade essas montadoras que compraram a idéia do cara?

    • Esta história de fábrica de um carro movido à ar é antiga. Mais ou menos em 2000, o inventor fez um plano de instalar diversas fábricas no mundo, para que fosse produzido e distribuído localmente. O investimento indicado na época era de 10 mi de dólares, com produção prevista, se não me falha a memória, de 2000 carros por mês. No Brasil o plano era instalar fábricas em Porto Alegre, em São Paulo e uma no Nordeste (não me lembro em qual cidade). A fábrica fez um evento em São Paulo e tentaram trazer um carro para cá. Adivinha? Não deixaram o carro entrar no Brasil, alegando que era uma importação e que o veículo não tinha o selo de conformidade dos órgãos ambientais. O evento teve uma cobertura pífia pela mídia. Um tempo depois, recebi um email da MDI, pois tinha me cadastrado no site, dizendo que tinham tentado homologar o carro no Brasil e receberam uma negativa. O motivo foi sensacional: como a temperatura do ar que saía do motor era mais baixa da que entrava, isto causaria impacto ambiental! Fantástico! Infelizmente não tenho mais este email.

Comente este artigo

Seu email é obrigatório, mas não será mostrado.


*