Manutenção do carro pode ficar mais cara

Custo de manutenção automotiva aumentará

A conclusão está ligada ao aumento do aço, principal matéria prima das montadoras e indústrias de autopeças. Muitas indústrias já iniciaram ações para redução de custos internos, a fim de minimizar o impacto do reajuste de preços, enquanto as siderúrgias se defendem dizendo que estão apenas repassando o aumento acumulado dos seus principais insumos no mercado internacional: o minério de ferro e o carvão.

Em março deste ano já houve um aumento de 13,5% no preço médio do aço. E um novo aumento é anunciado ainda para o 1º semestre em torno de 13% a 15%, podendo variar conforme a negociação de cada comprador. Em 2007, o então presidente da Fiat no Brasil, Cledorvino Belini, acusou as siderúrgicas de cobrarem o aço mais caro no mercado interno que para exportação.

Este aumento atingirá diretamente os preços de itens como amortecedores, discos e pastilhas de freio, escapamentos, latarias (funilaria), embreagens e outras peças que incluem o aço como matéria prima.

Esta é uma deixa para que você faça, o quanto antes, uma revisão nos itens de segurança do seu veículo, antes que este aumento chegue aos estoques do mercado varejista.

Veja as notícias relacionadas no Jornal O Globo, na Reuters, no Valor Online e no site do SICETEL.

Faça o primeiro comentário no artigo "Manutenção do carro pode ficar mais cara"

Comente este artigo

Seu email é obrigatório, mas não será mostrado.


*