Na onda dos mini carros, Toyota não fica para trás

Autoestrada – O iQ, novo lançamento da Toyota, apresentado no Salão de Genebra, é o carro menos poluente da marca japonesa. Segundo a fábrica, o carro, um sub-compacto para uso urbano, emite 100 gramas de CO2 por quilômetro rodado. Mesmo equipado com motor a combustão interna convencional, ele supera o híbrido Prius, da própria Toyota, que emite 104 g/km.

O iQ, cujo nome deriva da expressão “inteligence quocient” (no Brasil seria Qi – quociente de inteligência) tem menos de três metros de comprimento e pode levar três adultos mais uma criança ou bagagem. Para ampliar o espaço interno, o tanque de combustível foi posicionado sob o assoalho.

Apesar do tamanho, o iQ foi projetado para obter cinco estrelas no teste de colisão promovido pela rigorosa Euro NCAP, entidade especializada em segurança automotiva. Sua produção deve iniciar no final do ano.

 

Espaço – A adoção de um novo desenho para a transmissão permitiu reduzir o tamanho do compartimento do motor e posicionar as rodas dianteiras bem nos cantos do veículo. A concepção do tanque de gasolina, de forma achatada, foi um desafio para a engenharia da Toyota, já que seu formato provoca grande deslocamento da superfície do líquido dependendo da inclinação do veículo. Outro feito dos engenheiros foi reduzir o espaço ocupado pelo sistema de ar condicionado, que permitiu deslocar para a frente a área destinada aos ocupantes, ganhando espaço na cabine.

Também houve ganho de espaço pela adoção de encostos 40 mm mais estreitos nos bancos dianteiros, beneficiando o espaço para os joelhos de quem vai atrás.

 

 

 

 

O iQ será oferecido ao público com duas versões de motores a gasolina e um a diesel. A fábrica espera vender 100 mil unidades no primeiro ano de fabricação.

Carsale – A Toyota mostra no Salão de Frankfurt um “adversário” do Volkswagen Up!, o carro-conceito iQ. Criado pelo estúdio de design da marca ED2, localizado no sul da França. Dono de um interior flexível, o o modelo super-compacto pode abrigar três adultos e uma criança e traz rodas de 17 polegadas e teto solar panorâmico.

 

Medindo 2,98 metros de comprimento, 1,68 m de largura e 1,48 m de altura, o iQ é menor protótipo com capacidade para quatro passageiros do mundo, segundo a montadora. Como todo conceito que se preze, o design fora do comum é o cartão de visitas do modelo.

 

 

 

Não há divisão entre o pára-choque traseiro e as laterais (?), que são compostos por apenas uma peça. O escapamento fica no centro da parte traseira, as lanternas invadem o vidro e não há frisos laterais. Já na frente chamam a atenção o pequeno capô e os vincos pronunciados, que formam um “M” entre os faróis e o pára-choque.

A Toyota não divulgou qual o motor o protótipo esconde sob o capô, nem imagens internas do veículo, mencionando apenas que os instrumentos internos foram projetados para seguir as linhas de design da carroceria.

21 Comments on "Na onda dos mini carros, Toyota não fica para trás"

  1. Belo design, melhor que o nano, porém deve ser mais caro e provávelmente não dará as caras por aqui. Uma pena. Eu seria um dos que compraria.

  2. Bom gostaria de saber se o carro IQ vem para o Brasil?
    E o valor do IQ?
    obrigado!

  3. queria saber se o carro vem para o Brasil
    e o valor

  4. gostaria de reber por imail. valor e se tem no brasil para vender e qunto! obrigado .

  5. Gostaria de saber se ja tem no BRASIL e quanto que custa obrigada

  6. eu gostaria que voces responde -se pelo meu mail o valor do carro

  7. Que carrinho show, certamente se vir para o Brasil vou comprar um, muito lindo mesmo, mais bonito que Smart e que o Nano não tem nem comparação, tomara que o preço seja acessível

  8. Gostei muito do carrinho, sertamente se viesse ao Brasil seria muito bem vindo, sendo que o transito aqui está muito caótico e as filas sem fim certmente com carrinhos deste porte melhoraria muito o transito.

  9. Seria um sonho ter esses carros no Brasil, algo creio eu meio impossivel de acontecer, pois os politicos desse país não fazem nada, como eles as montadoras tambem, so produzem essas JOSSAS poluidoras e ESPAÇOSAS que circulam pelas nossas cidades, "OI, ALGUEM AEEE???OUÇAM, QUEREMOS CARROS PRATICOS, COMPACTOS, ECONOMICOS DE MENOR CILINDRADA E PESO, BARATA MANUTENÇÂO, DURAVEL COMO UMA CG FAN, AMIGO DO MEIO AMBIENTE E DO NOSSO NARIZ".

    Ninguem verá essa mensagem, so me resta a opção de utilizar a motocicleta para economizar…

    Não temos muita opção e nem acesso a certas tecnologias, uma lastima mesmo…seria um sucesso aqui no Brasil…

  10. Ficar atento: Preço petróleo x alcool (?)

    Imaginem então: Eletricidade (qdo. for combustível energético de automóveis)

    Eletricidade x petróleo x alcool.

    "Qual", será motivo para que o preço da energia elétrica que já é absurdo aqui no Br (sem comentários) venha a custar o "olho da cara".

    Pensem sobre…

  11. bom eu ja vi esse carro a venda aki o q resta saber eh o valor

  12. Quem dera q os politicos brasileiros olhar-se um pouco p o povo, pense q Sr. João do Amaral Gurgel fabricou o mini (GURGEL), porém faltou incentivo e a empresa foi a falência. Era popular e chegava para alguns realizar sonhos. Mas, por aqui n se pensa em menos favorecidos, uma pena. Torço p q qdo. chegar e se chegar q seja p ficar e com preços popular .

  13. Olá, eu gostaria de saber se esse carro vem pro Brasil? E o valor??

    Agradeço.

  14. gostaria de saber o valor e ja existe no brasil para comprar

  15. Rosangela Botelho | 29 de abril de 2010 at 23:27 | Responder

    Gostaria de saber o valor desses mini carros e aonde podeemos comprá-los aqui no Brasil?

  16. ola,
    eu gostaria de saber se este modelo já esta disponivel em Angola, o valor e aonde o podemos comprar, se não estiver disponivél qdo estará

  17. Qual o valorrrrrrr?

  18. Quando chega no Brasil para venda?

  19. Gostaria de saber se já está disponível para venda no Brasil, onde e qual valor?

  20. Mario Paulo da Silva Costa | 13 de setembro de 2014 at 11:01 | Responder

    Li todos os emails que foram enviados a respeito dos mini carros. Fiquei feliz em saber que um grande numero de pessoas deseja, como eu, um mini carro. Só que ninguém se lembra da origem do fusca que foi lançado em plena guerra mundial, onde, em virtude daquele estado de coisas, não era nem foi pensado em luxo e vaidade mas tão somente um veículo para servir ao povo. Não me consta que houvessem tantos críticos, tantos “experts” como hoje e, no entanto, foi o carro popular que teve uma enorme aceitação mundialmente e atravessou décadas. Eu pergunto: ele ficou naquele primitivismo? Foi contestado e repugnado em alguns países? Não, pelo contrário, foi sendo modificado paulatinamente sem nunca perder a sua linha original, como acontece hoje em dia em que um carro lançado no mercado, com toda pompa, não tem continuidade na sua linha de produção. Quero dizer com isto que se os atuais carros preenchessem todas as expectativas de gosto e satisfação ninguém quereria trocar de carro todos os anos anos. Pra que? se estou me sentido bem com ele? Mas não é isso que está acontecendo. As fábricas lançam diariamente um número enorme de veículos, claro que cada vez mais caros. Em qualquer lugar que se vá, os antigos açouges, quitandas e armazénsse transformaram em agências de automóveis. Quem é que não sabe disso? Então eu pergunto: será que os mini carrosnão evoluirão também dom o emprego da ciência e tecnologia como aconteceu co aconteceu com o fusca? Com que competência, conhecimento de causa alguém pode dizer que o Brasil não quer mini carros?

Comente este artigo

Seu email é obrigatório, mas não será mostrado.


*